sábado, 19 de outubro de 2013

O SOLOMAN NÃO PODE MORRER!



Olá galera, Ulisses quem vos escreve.

O burburinho nas redes sociais sobre o Soloman diminuiu. Esfriou. Parte foi devido a eu ter ficado doente por muitos dias com uma toxoplasmose, o que acabou comigo fisicamente e mentalmente. Mas teve um outro fator que foi preponderante e muito mais importante e é sobre este que eu quero me ater.

Quando fizemos o primeiro Soloman 226 full em maio, aquilo foi uma explosão de alegria. Mesmo antes do evento, a interação da galera foi enorme nas semanas que o antecederam. Isso porque não nos conhecíamos direito até então. Havia um clima bacana no ar, de meses antes do evento, culminando na sua noite de término com a chegada do Vallim. 

Quando vimos que era uma ideia viável, começamos a divulgar e incendiar outras galeras, principalmente o pessoal do Paraná, de Juíz de Fora e de Aracaju, que criaram suas próprias versões de Meio Soloman. As duas primeiras foram um sucesso absoluto, organizadas pelo Marlus e pelo Diogo Fiocchi, respectivamente. A de Aracaju ainda está por acontecer.

O Meio Soloman 113 aqui de Itirapina, por outro lado, deixou muito a desejar. Primeiro, devido a imensa falta de interação prévia da galera. Para não dizer zero, houve apenas alguma entre as próprias pessoas que haviam participado do Soloman 226 anterior e só.

O segundo e o principal motivo, infelizmente, foi a intoxicação do evento por dois ou três figuras que acabaram de arranhar o possível brilho que o evento poderia resgatar. Tudo começou com eles chegando 8:05, com cara de conteúdo e mochila nas costas em um evento com largada marcada para as 8hs. Um desrespeito total aos outros atletas e ao evento. Sem conhecer direito o circuito e sem dar a devida importância. Como se não bastasse, sim minha gente, VÁCUO no Soloman! Revezamento de roda! Em um Soloman! É incrível.

Para acabar de vez com tudo, a marretada final veio com o corte de caminho na corrida. Sim, cortaram caminho na corrida!

Teve gente que nem pagou a diária exigida pelo hotel, mesmo depois de enviarmos emails, nos deixando em uma situação delicada com a gerência. Enfim, uma galera que combina com outra coisa, algum 171, menos no Soloman.

A prova, que já estava sem brilho, ficou totalmente opaca.

Sabem aquele pequeno produtor de grãos, que está lá em seu pedaço de terra plantando feijão, milho, soja, milheto, fava, etc, por gerações, que de repente se depara com um vizinho gigante latifundiário com alguma monocultura que acaba contaminando o pequeno? Pois é. Foi assim que me senti. O evento, cuja maior bandeira é o seu código (clique AQUI), que visa justamente eliminar esse tipo de atitude, falhou miseravelmente.

Devido a tudo isso, nós aqui que acabamos por nos tornar "os organizadores" do evento (por mais que tentemos nos livrar de tal imagem), eu, Quirino, Vallim e Rodrigo Massoni, decidimos que Soloman em Itirapina só haverá um. O Soloman 226 de maio. Aquele do mesmo dia e horário de Floripa. Nada mais de meio Soloman 113.

As regras para se participar deste Soloman não mudam, isto é, só sendo convidado por outro Soloman 226 ou ter sido staff em outro Soloman.

Esta é indiscutivelmente a principal medida para evitarmos uma galera desonesta na prova. Podem nos chamar de "excludentes", "sangue azul" ou o que seja. Quem nos conhece sabe muito bem que estes adjetivos não nos aplicam. Mas a experiência nos mostrou que neste tipo de situação, ou tiramos as maçãs podres, ou a macieira vem ao chão.

Além disso, uma distâcia 113 é um chamariz para quem está treinando "meia boca" e está a fim de "dar uma treinada", não dando a devida importância que a prova deveria exigir. Já um 226, naquele circuito para lá de desafiador, se o cara não estiver minimamente treinado e envolvido mentalmente com o Soloman, sentará no chão pedindo água e rezando para chegar um carro solidário. É desse tipo de galera que queremos que o Soloman seja feito. Galera conprometida. Somos o "pequeno agricultor" ainda tentando preservar o que o triathlon ainda tem de bom. A própria distância e a dificuldade do circuito já será uma peneira e tanto que vai agir a nosso favor.

SOLOMAN!