sexta-feira, 31 de maio de 2013

Relato do SOLOMAN 2013 - por Marcelo Vallim



SOLOMAN 2013

Vou começar esse texto dizendo para por favor : NAO NOS COMPAREM COM NINGUEM! SOMOS UNICOS... 

seja como seres humanos, seja como triatletas ou seja como um grupo!

Eu precisava de uma inspiração para me sentar aqui em frente ao meu laptop e postar algo sobre o SOLOMAN 2013 que ocorreu nesse Domingo passado dia 26 de Maio...e resolvi escutar essa banda http://www.youtube.com/watch?v=bty--DuS44Y que me acompanha desde meus 15 anos de idade quando em umas ferias que passei talvez não por coincidência em Florianópolisfiz minha "ZEPATHLON" ( imersão total de LED ZEPPELIN, como se fosse meu primeiro IRONMAN)...foram horas e horas por dias escutando-os!!! 

Aquele som me transportava a um lugar que eu mesmo não sabia onde era...e preenchia minha alma de uma forma sem igual. 

Coincidência? Não para mim!

Me permitam dizer que eu não comecei essa historia de SOLOMAN...eu apenas a trouxe para o Brasil e compartilhei com meus amigos! 

Aperfeiçoamosalgumas coisas e a adaptamos a nossa realidade tupiniquim...

Meu SOLOMAN 2013 começou em 2012 quando acompanhando o IRONMAN de Florianópolis com alguns amigos pela internet nos vimos na mesma situação de frustração com o que ocorrera em 2002 quando sentimos que a corporação MDot. (Latim Sports) não estava dando a devida importância aos seus "parceiros", e numa conversa com o Fernando Quirino se acendeu a chama novamente do SOLOMAN...mas era uma chama ainda pequena...ai foi criado o GRUPO SOLOMAN no Facebook e a coisa foi tomando forma...muitos estavam receosos e as discussões foram se acalentando e resolvemos que estava na hora de uma terceira edição do SOLOMAN...foi ai que me dei conta de que eu estava no lugar errado...foram meses e mais meses me convencendo de que eu precisava voltar a uma realidade que havia deixado para trás por 5 anos...



Não foi fácil, e não me arrependo! 

Alguns me chamam de louco por ter abandonado tudo nos US mas eu respondo sempre: E QUEM NAO É LOUCO?

Pessoas como o Ulisses e o Rodrigo, que eu apenas conhecia pelos e-mails ou mensagens do Face me pareciam irmãos pela forma como nossas conversas eram conduzidas. 

Em momento algum, alguém impôs algo nesse ano de preparação para o SOLOMAN, sempre havia muita conversa e as soluções sempre eram resultado de total concordância entre todos. 

Não estávamos preocupados com nossos umbigos mas sim com o bem e segurança do grupo e acho que foi por isso nossa total interação.

Estávamos abertos as propostas que nos eram passadas pelos integrantes e sempre que possível ajustávamos o que se fazia necessário.

Nesse período de US (seis anos) e em 2012 eu não estava treinando (seguindo uma planilha)...nadava quando dava, pedalava nos finais de semana e caminhava e trotava quando tudo mais precisava ser deixado para trás (stress de ser um estrangeiro)...e por puro descaso meu cheguei em meu recorde de peso corporal: 114 kg. Isso mesmo...cento e quatorze quilos!

Cheguei no Brasil dia 31 de Marco (Domingo) e comecei meus treinos para o SOLOMAN 2013 no dia 1 de Abril (juro que é verdade! rsrsrs) e foram 45 dias para me adaptar à minha nova realidade...era pouco, foi muito pouco!

Mas eu tinha que provar a mim mesmo que as distâncias de um IRONMAN seriam vencidas mentalmente e não fisicamente...já vi atletas fisicamente muito fortes serem derrotados por não terem se preparado mentalmente...tinha que adaptar meu corpo novamente a comer mesmo que forçadamente no ciclismo e corrida para estar apto a cruzar a linha de chegada, coisa que eu não fazia há mais de 6 anos...

Fiz o que deu...foram dias de dúvidas e dias em que me achava o cara mais forte do mundo...meu único treino longo de pedal foi um que comecei com o Fernando Quirino e durou 20Km ate eu ter um pneu explodido decorrência de um atropelamento duma pedra maldita...mas valeu pela risada descontrolada que eu consegui arrancar de Fernando quando tive que "descartar" uma bomba de encher pneu que só enchia o meu saco pois ela não enchia nada (saco de velho, sabe come eh né!?!?!rsrsrs)...mas ali esperando por minha irmã que foi fazer meu resgate tive a grata surpresa de encontrar com vários amigos que se propuseram a me ajudar mas não havia muito o que fazer senão eu voltar pra casa e repor a câmara e o pneu e sair pra rodar mais 120Km num sol de rachar mamona e vento contra na volta o que me fez perceber que esse SOLOMAN seria muuuuito doloroso! 

Minha natação não era problema...tinha feito uma travessia no começo de Abril de 3500 metros em Jacareí para um tempo de 1 hora e 9 minutos o que me deu confiança suficiente nessa modalidade mas a corrida seria meu maior problema...como correr com 110 Kg? 

Me veio a mente um IRONMAN que tinha feito com alguns amigos (Afonso, Laurão e Marcão) em que tivemos que andar pois o Afonso estava machucado...e aquilo me confortou...pois sabia que o IRONMAN é feito em partes...nunca pense no todo, divida-o em seguimentos e cumpra esses seguimentos com um sorriso na rosto, seu dia será bem mais fácil! 

Encoraje os que estão ao seu lado pois sua energia dependera da deles também...e no SOLOMAN temos o aspecto STAFF algo que eh um fator de peso, pode ser a diferença entre terminar a prova ou não se esse sincronismo e motivação mutua não funcionardevidamente. 



Eu não sou um católico muito fervoroso mas em provas desse porte como o SOLOMAN meu lado espiritual se sensibiliza duma forma que as vezes fico com medo...chega a ser uma transe mesmo!

Bem, vamos ao relato do meu SOLOMAN...

Já no simpósio do dia anterior deu pra perceber que a energia do grupo estava muito forte, aquela tensão de provas oficiais não ocorre num SOLOMAN, mas isso não quer dizer que o frio da barriga é menor...é simplesmente diferente! 

O sorriso estava largado nas faces dos participantes...estavam todos interessados em entender o que se passava ali...percurso, comportamento dos staffs, clima descontraído e resolvidas algumas questões em menos de uma hora e meia estávamos livres...nem por isso arredamos o pé dali...o bate-papo corria solto!

Ali nos foram apresentadas as camisetas e medalhas de FINISHER, o que veio nos motivar ainda mais!

No Domingo dia D, nos arrumamos em nossa área de transição (T1 e T2) e em menos de 30 minutos já estávamos todos prontos... ali, eu já sabia que seria um dia de pura diversão, dia duro, mas de muita diversão...pela foto antes da largada já dava pra ver no sorriso do pessoal que a "IRMANDADE SOLOMAN" estava formada novamente!

Pontualmente às 7 horas da manhã foi dada a largada e, ali, deu pra perceber que o pessoal não estava de brincadeira não...pela forma que entraram na lagoa do Broa eu sabia que o pau ia comer solto...por sorte eu tinha meu irmão mais velho, Sérgio Drago, ao meu lado, e nos safamos daquela pauleira toda...nadamos os primeiros 1900 metros em 45 minutos e tivemos a grata surpresa de ao sair da água encontrar minha namorada Angélica fotografando e filmando tudo com sua máquina fotográfica nova...tocamos no "postinho" que estava ali e já voltamos pra água pros 1900 metros finais da natação que foi sossegada e super segura com os bombeiros sempre por perto.

Na saída dos 3800 metros de natação com 1 e 31 minutos e 30 segundos... estávamos rindo e o Sérgio ainda teve a presença de espirito de recordar uma de nossa chegada em um IRONMAN em Floripa na qual cruzamos a linha de chegada juntos para termos pelo menos uma "foto oficial" embaixo do pórtico de chegada. 

Foto essa que se encontra em um painel em seu escritório na Limeirense Fertilizantes e, caso vocês tenham a oportunidade de passar por la, tomem o cafezinho coado em coador de pano...aposto que muitos outros causos viram à tona! 

Transição (T1) foi algo de extrema lerdeza...17 minutos...mais alguns causos contado e saímos pro pedal...o já anunciado e famoso pedal...logo que chegamos (Eu e Sérgio) na Rodovia Paulo Nilo Romano, percebi que eu pedalaria sozinho, pois não queria atrapalhar o pedal do Sérgio que estava mais forte que eu e combinamos ali em nos separarmos e vi meu amigo ir embora.

Vou sintetizar bem os primeiros 90Km da bike pois foi com vento a favor...subidas que nem pareciam ser tão íngremes assim e a tal da "serrinha" que pelo visual passou até que muito rápido... a saída 177B (retorno do ciclismo) chegou pra mim em 3 horas e 35 minutos...muito antes de minhas previsões o que me deixou alegre. 

Mas essa alegria duraria pouco...o vento contra já soprava com maestria e era possível ver a dança dos canaviais...até ali não havia feito nenhum xixi o que é um mau indício para uma hidratação correta...parei um pouco mais pra frente e comi meu primeiro meio sanduche e o lavei pra baixo com Coca-Cola...(esse líquido preto dessa Cia que muitos odeiam e outros idolatram) que desceu muito rápido e ali eu já sabia que o que me esperava não seria nada agradável...voltei a pedalar e já na primeira subida meu vasto medial, músculo interno da coxa, acima do joelho, começou a ditar o ritmo de minha prova...as câimbras estavam instaladas e não havia nada que eu pudesse fazer.

Gostaria aqui de ressaltar a importância do staff...a paciência e tolerância é algo que tem que ser transmitido pelo atleta pois se essa boa conexão entre ambos se romper, seu dia será miserável! 

Minhas primeiras duas horas de pedal com meu staff foram de ajustes (ela italiana e eu italiano ogro...hoje damos risada mas quase que saímos no braço um com o outro em uma hora lá...rsrsrsrs)...e por sorte e depois duma conversa ela compreendeu que eu dependeria dela pra terminar inteiro aquele dia. 

Ela diz que nunca mais quer ser staff, o que eu concordo! Também acho que ela já esta preparada (mentalmente) pra fazer um SOLOMAN! 

Minha volta do pedal foi feita com duas horas a mais que na ida, isso mesmo, duas horas a mais! Foram muitas paradas por câimbras, hidratação e alimentação...e a porra (me desculpem o termo) do ultimo pedágio que era minha referencia pro final do ciclismo nunca chegava...até que enfim ele aparece e dali pra frente sabia que cruzar a linha de chegada do SOLOMAN seria possível.

Cruzei na pequena rodovia (que eu chamo de caminho do "BOSQUE") com o Quirino, Curado e a Karol os quais fizeram tipo uma "OLAAAA" com os braços e minhas baterias se recarregaram novamente...era bom sentir que eu não estava mais sozinho! Mais alguns quilômetros e vejo o Bene que parecia um trem a vapor...vinha com gana, comendo asfalto!!! Outro que encontrei foi o Fernando Alisson já perto do Resort em estado não muito bom(rsrsrs)...mas seu sorriso ainda estava estampado no rosto! 

Nesse momento me encontro com o Sérgio Drago já dentro do carro indo pra casa com seu dever cumprido, pois daqui um mês estará na Áustria fazendo seu IRONMAN...e te garanto que ele vai encarar as montanhas austríacas com muito mais confiança depois desse pedal do SOLOMAN. 

Estaremos lá, na Áustria, em pensamento sempre positivo com você Sérgiao, pois sabemos que seu espirito é de um SOLOMAN! E quero agradecer aqui pela nossa amizade!

Cheguei na T2...UFA!!!

Em 7 minutos (foi rapido assim porque o Rafael estava la dentro destruindo o trono), tempo que durou minha transição do pedal pra corrida (correr, trotar, caminhar) vi o Ulisses na portaria do Resort caminhando também...ali eu me dei conta de quão cruel tinha sido a volta do ciclismo...seu semblante não era dos melhores, trocamos algumas palavras de encorajamento e abri minha maratona...sempre caminhando rápido nas subidas e procurando trotar nas retas e acelerando nas descidas...essa minha tática deu certo! 

Num dos trechos bati um papo com o Rogerio Finotti que havia desistido no começo da maratona e ali reconfirmei com ele que essa prova é totalmente feita mentalmente e tenho certeza que ali ele me entendeu e voltará pra 2014 mais forte nesse aspecto! 

Numa das voltas do condomínio no trecho escuro em que estão assentando os bloquetes, eu estava caminhando no escuro e escuto uma galera chegando com musica e uma energia contagiante... era o Pedro Sgavioli molecão de tudo, mas com energia de gente grande...havia duas meninas com ele e mais seu staff de bike, aproveitei e corri com eles por uns 2Km...com minhas baterias novamente recarregadas depois desse encontro, fui para o Condomínio de cima onde tem o Lobo Guará, o Aeroporto e o Campo de Golfe...ali a noite se fez presente...estava muito escuro, de não se enxergar um palmo a frente do nariz e, às vezes, eu apagava minha lanterna (farol portátil de bicicleta que é super forte) para curtir a escuridão e numa dessas vezes quando eu reacendi a luz, quase pisei numa cobrinha duns 40 cm de cor meio alaranjada que estava se aquecendo ali nos bloquetes...decidi manter a lanterna acesa dali pra frente...rsrsrs...bati a mão na porteira no final da rua do Campo de Golfe e voltei à minha rotina de andar nas subidas...o frio já se fazia presente...pus minha blusa amarela de pedalar que tem mangas compridas...e minhas voltas pelo Condomínio começaram...numa delas eu estava caminhando numa das subida e encontro com o Bene ainda comendo asfalto vindo que nem um louco em sua última volta e resolvi correr junto com ele e o Paulao...corremos juntos os quase 3 últimos quilômetros da maratona dele e sabia que dali pra frente só tinha o Quirino e o Curado ainda na prova...infelizmente não nos encontramos mas a Angélica me disse que eles estavam um pouco à minha frente e tentei forçar um pouco pra ver se conseguia alcançá-los, mas minhas pernas não respondiam mais e eu ainda pude ouvir o pessoal saudando os dois na chegada pois estava logo atrás porem eu tinha mais 10Km pra terminar meu SOLOMAN...

Dessa hora pra frente era EU, DEUS e a ANGÉLICA que me encontrava nas metades das voltas e sempre com seu sorriso me perguntando o que eu queria...e já que citei o nome dela aqui, gostaria de agradece-la e dedicar a ela esse SOLOMAN.



Em minhas passagens pela área de transição quando abria minhas voltas, sempre tinha o Daniel Meyer e família, juntamente com o Gerd e sua esposa Lúcia me saudando e, também, gostaria de agradecer à todas as pessoas que, de alguma forma, me saudaram pelo caminho do SOLOMAN. 

Daniel, você chegou à frente de seus companheiros neste SOLOMAN, mas isso não tirou sua humildade que ficou clara pela sua atitude de campeão e respeito ao saudar todos os que chegaram depois de você...meus parabéns pela sua prova e educação!

Em minha ultima volta de 5Km já sabia que daria pra chegar antes da meia-noite e era uma questão de tempo pra receber minha medalha e camiseta de finisher

Ali veio um filme em minha mente com praticamente todos os meus 7 IRONMANs e 3 SOLOMANs...

Pessoas e amigos que me ajudaram a percorrer todas essas distâncias, sejam elas nos treinos ou nas provas...

PROVAS ÚNICAS que eu compararia com filhos...são únicos e são diferentes, assim como nos SOMOS ÚNICOS... e diferentes ao mesmo tempo...peço que não nos comparem com ninguém! 

Temos virtudes assim como outras provas também as têm! 

Façamos o nosso melhor sempre e que esse melhor atinja o maior número de pessoas possíveis! 

Fechei minha maratona com 5 horas e 35 minutos (nada mal para um caboclo pesando 110 kilos) e cruzei a "linha de chegada" com 16 horas e 38 minutos com meus amigos me saudando que é o que importa no final das contas pra mim.

Foi uma honra e um prazer (doloroso por falta de treino) pra mim, fazer parte desse SOLOMAN 2013 e espero que todos entendam que sempre que você tiver seus amigos por perto, o caminho será mais alegre!

DIVIRTAM-SE SEMPRE EM TUDO QUE FIZEREM!

SOLO ABRAÇOS e até 2014!

MARCELO VALLIM

Um comentário:

  1. Sensacional!!! Simplesmente sem palavras, seu relato é motivador e emocionante!!! Parabens!!! Foi um prazer estar lá e apreciar essa prova!

    ResponderExcluir