terça-feira, 5 de março de 2013

SOLOPerfil: Ulisses F. Eliano



  • IDADE: 36 (estarei com 37 no SOLOMAN)
  • CIDADE: Atibaia/SP
  • EXPERIÊNCIA NO TRIATHLON: 5 anos de triathlon, 2 Ironmans, 1 Ironman DNF, 5 meio Ironmans, 2 Olímpicos, 1 short, 1 1000/100/10 GP Extreme. Melhores marcas: 9h48 IM de Floripa, 4h15 e 2o na categoria no Long Distance Pirassununga, 2h07 e 2o na categoria no Estadual do RJ, 3h30 2o da categoria no GP Extreme. Sem pegar roda! Odeio vaqueiro rsrsrs. O triathlon para mim é um estilo de vida, está presente no meu cotidiano e de forma irreversível. Curto treinar e me alimentar o melhor que eu consigo para ver até onde posso chegar. Treino praticamente o tempo todo sozinho, com algumas exceções. Minhas experiências boas no triathlon são infinitamente maiores nos meus dias de treinos solitários do que nas provas em si. Momentos que não tenho fotos nem testemunhas, apenas a minha lembrança. A prova para mim é apenas o coroamento de meses de esforço e um final de semana bacana com a família e amigos.
  • PRINCIPAL CARACTERÍSTICA: Viciado em nutrição. 100% vegano.
  • PORQUE O SOLOMAN?

Em fevereiro de 1978 foi dada a largada para o primeiro "Homem de Ferro" no Havaí. Quinze pessoas largaram impulsionadas por alguns desejos: saber se era possível completar tal feito e tentar descobrir quais eram os atletas mais preparados. Corredores, nadadores ou "outras modalidades". Apesar de um clima de competitividade inerente, o sentimento que mais movia aqueles atletas era a ludicidade. Sem saber o que iriam encontrar, treinaram o que deu e largaram. 

Esta história virou um mito, é claro, e nasceu o Ironman Triathlon. 

Cada vez mais ele foi crescendo, cada vez mais adeptos foram aparecendo, e o sentimento lúdico ainda era o que imperava. 

O Ironman cresceu tanto, que hoje conta com 26 provas pelo mundo, com milhares de pessoas largando todos os anos, sendo que o campeonato mundial é em Kona, Havaí. Várias empresas privadas espalhadas são responsáveis pelas organizações de seus "Ironmans", mas todas as licenças e a propriedade da marca "Ironman" é da WTC - World Triathlon Corporation. 

Todo Ironman possui um brilho. Principalmente o primeiro de cada um que cruza aquela linha de chegada. Só sabe descrever a sensação quem o fez depois de meses de treinos. No entanto, algo se perdeu nesse crescimento exponencial do Ironman. Cada vez mais um símbolo de status social, um "produto diferenciado", elitizado e distante da massificação esportiva. Bom para os empresários que aproveitam a oportunidade, ruim para o triathlon. 

É claro que o Ironman sempre será visto com carinho por todos os triatletas do mundo. Independentemente do que o mercado possa fazer com ele. É claro que nós, SOLOMANS, faremos outros Ironmans. Mas e aquele sentimento lúdico do dia 18 de fevereiro de 1978? Aquele sentimento da simplicidade, da distância dos holofotes e da mera união de amigos para realizarem um desafio de ultraendurance? 

Ele será mais uma vez resgatado no dia 26/05, às 7hs da manhã, na represa do BROA! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário